Aprendizagem com os Desastres

México: Seminário sobre Aprendizagem com os Desastres, Educação em Situações de Emergência

Notícias dos diferentes escritórios da OEI . 12/03/2018
Tamaño del texto + -

Na sequência do Seminário realizado nos dias 1, 2 e 3 de março de 2018, em Puebla, México, o Centro de Cooperação Regional para Educação de Adultos na América Latina e Caribe (CREFAL), o Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF), a Organização dos Estados Ibero-Americanos (OEI) e a Secretaria de Educação do governo do estado de Puebla reafirmaram que as escolas são o espaço onde o quotidiano das comunidades afetadas por catástrofes naturais é retomado.

Durante três dias de trabalho, especialistas de dez países discutiram e compartilharam lições e modelos de intervenção no campo da educação em emergências, com mais de 220 funcionários e chefes de diferentes organizações nacionais e internacionais.

De acordo com as conclusões dos grupos de trabalho neste seminário, o setor educacional deve estar preparado para enfrentar emergências e responder à recuperação do sistema educacional; Portanto, é necessário estabelecer mecanismos de diagnóstico e identificação de riscos, nos quais a participação efetiva de todas as partes interessadas esteja disponível, a fim de minimizar os efeitos das situações de emergência.

Ao mesmo tempo, é necessário ter protocolos flexíveis e simples para garantir a segurança das crianças antes, durante e após a emergência nos processos de recuperação do sistema educacional; trata-se de ter um mapa rodoviário, uma lista de verificação amável, clara e precisa para o setor governamental e educacional.

Além disso, é necessário atualizar e harmonizar a legislação em matéria de proteção civil, acelerar as opiniões estruturais das escolas e aumentar o número de DRO (Diretores Responsáveis pelo Trabalho) responsáveis pela avaliação da segurança estrutural das escolas.

A importância de ter espaços amigáveis para crianças, adolescentes e professores também foi destacada, através de salas de aula temporárias que garantem sua recuperação sócio-emocional após a emergência, para a recuperação do serviço educacional. Para este fim, é essencial fortalecer a capacitação de professores e a participação dos pais em ações de proteção civil, garantindo que a população saiba o que fazer durante e após a emergência.

Reconheceu a necessidade de promover ações de segurança escolar além de realizar exercícios e incorporar na cultura escolar outros elementos, tais como: atualização constante de informações sobre estudantes, professores, infraestrutura, identificação de risco, estabelecimento de um plano da segurança escolar que permite que a comunidade escolar crie propostas e alternativas de resposta eficazes.

Também foi expressa a importância do setor educacional, fazendo parte do sistema nacional de risco e prevenção de desastres, além de ter um fundo de recursos para a recuperação das escolas, pois durante o Seminário evidenciou-se que é da restauração do serviço educação que as famílias também podem começar o caminho da recuperação da normalidade.