foto

A celebração de Sophia de Mello Breyner Andresen no ano do seu centenário

OEI - Cultura . 06/11/2018
Tamaño del texto + -

Um colóquio em maio, na Fundação Calouste Gulbenkian, e um concerto no Teatro Nacional de São Carlos, em novembro, são os destaques das celebrações em 2019 do centenário do nascimento de Sophia de Mello Breyner Andresen.

A programação nacional do centenário da poetisa foi apresentada no dia 6 de novembro de 2018, no Centro Nacional de Cultura, quando se celebram os 99 anos da autora de "Fada Oriana" e "Menina do Mar". As iniciativas têm início a 12 de janeiro, no Centro Cultural de Belém,  com o projeto de dança "O Cavaleiro da Dinamarca", pela Escola de Dança do Conservatório Nacional.

O colóquio internacional sobre a obra de Sophia acontece no dia 16 maio, na Fundação Calouste Gulbenkian, estando previstos outros colóquios sobre a autora no Porto e em Lagos, mas também fora do país, nomeadamente no Rio de Janeiro e em Roma. O concerto no São Carlos realiza-se precisamente no dia de aniversário de Sophia, que nasceu no Porto, em 06 de novembro de 1919.

A programação inclui também um ciclo de cinema na Cinemateca Portuguesa, com filmes dos quais a escritora gostava, disse hoje à Lusa a sua filha Maria Andresen de Sousa Tavares, também poeta. Na área do cinema está previsto um filme de Margarida Gil, baseado num conto da escritora, enquanto o realizador Manuel Mozos irá dirigir um documentário sobre a autora de "O Nome das Coisas" e "Navegações". A programação inclui uma exposição itinerante sobre Sophia.

Entre as iniciativas anunciadas, em Lisboa, conta-se igualmente, na travessa das Mónicas, ao bairro da Graça, na casa onde a escritora viveu mais de 60 anos, a colocação de uma lápide evocativa.

A poesia de Sophia continua a ser descoberta. Em setembro, foi publicado o poema "Príncipe Estranho", que se encontrava inédito e foi publicado no âmbito da coleção de CD “Dizem os poetas…”, que incluiu poemas ditos pela autora e por “dizedores” como Rui Portulez, Carla Bolito e Isabel Abreu.

Em janeiro último, no âmbito da Temporada d’Arcos, em Torres Vedras, foram estreadas "Canções Helénicas de Sophia", compostas por Nuno Côrte-Real, a partir de poemas de Sophia, num concerto protagonizado pela Orquestra Sinfónica de Castela e Leão, dirigida pelo compositor, com interpretação da soprano Elisabete Matos, a quem a obra é dedicada.

Sophia de Mello Breyner Andresen (1919-2004), natural do Porto, foi condecorada três vezes pela República Portuguesa e distinguida com 13 prémios literários, entre outros galardões. A poetisa morreu dez dias antes de receber a Medalha de Honra do Presidente do Chile, por ocasião do centenário do nascimento de Pablo Neruda.

O Prémio Rainha Sofia de Espanha, em 2003, foi o último galardão que recebeu em vida, de uma lista iniciada em 1964, quando recebeu o Grande Prémio de Poesia da Sociedade Portuguesa de Escritores, pelo livro “Canto Sexto”.

A programação completa pode ser consultada aqui. 

  

Lusa

Foto: MÁRIO CRUZ