A Diretora da Organização de Estados Ibero-americanos (OEI) em Portugal, Ana Paula Laborinho, evidenciou os perigos da sociedade digital que podem aumentar as desigualdades entre ricos e pobres tecnológicos.

Educação de Qualidade e Desenvolvimento na Lusofonia

OEI - Educação . 11/06/2019
Tamaño del texto + -

A Diretora da Organização de Estados Ibero-americanos (OEI) em Portugal, Ana Paula Laborinho, evidenciou os perigos da sociedade digital que podem aumentar as desigualdades entre ricos e pobres tecnológicos. Perante a assembleia do encontro “Educação de Qualidade e Desenvolvimento na Lusofonia”, das quais foi uma das principais conferencistas, que decorreu na Faculdade de Direito da Universidade Nova de Lisboa, nos dias 6 e 7 de junho, Ana Paula Laborinho considerou, ainda, “que a cooperação em matéria de educação impõe intervenções que tenham em consideração os contextos, sendo necessário erradicar a tendência para transferir modelos apenas porque foram bem-sucedidos”. Nesse sentido, o Programa-Orçamento da OEI para o biénio 2019-2020 apresenta como um dos seus eixos centrais a temática da educação voltada para as competências para o século XXI.

A conferência, que contou com a participação de especialistas dos vários países de língua portuguesa, abordou a educação como força motriz do desenvolvimento, no quadro da Agenda 2030, que envolve um conjunto variado de atores, que exige uma abordagem multidisciplinar que garanta uma educação inclusiva, equitativa promotora de oportunidades de aprendizagens e que se desenvolva ao longo da vida. Durante os dois dias, foram abordados temas como a Educação e Direitos Humanos, Inovação e Tecnologia, Empreendedorismo Social e a Educação na Diáspora.