CORDOBA.

Figuras destacadas do mundo das letras inauguraram junto às autoridades máximas da Argentina e da Espanha no VIII Congresso Internacional da Língua Espanhola em Córdoba, na Argentina

OEI - Cultura . 01/04/2019
Tamaño del texto + -

 

Cidade de Córdoba, 27 de março

No 27 de março teve lugar a sessão de abertura do Congresso Internacional da Língua Espanhola (CILE 2019) no Teatro do General Libertador San Martín.

A inauguração do CILE2019 foi feita por Juan Schiaretti, governador de Córdoba, Rebeca Grynspan, Secretária-Geral Ibero-Americana; Luis García Montero, diretor do Instituto Cervantes; Santiago Muñoz Machado, Diretor da Real Academia Espanhola (RAE) e Presidente da Associação das Academias espanholas (ASALE); Felipe VI, Rei de Espanha e Mauricio Macri, Presidente da Argentina.

«O futuro de Espanha é um compromisso de todos», afirmou durante a sua intervenção o rei de Espanha. Por sua vez, Macri afirmou que «a língua é o nosso melhor ativo, a melhor distribuição da nossa comunidade e somos nós que temos que a valorizar.» Schiaretti afirmou que «a ênfase deve ser colocada na riqueza da nossa língua».  Grynspan referiu que «o maior tesouro da Ibero-America é a sua diversidade. O espanhol é a convivência, é saber viver na diversidade», enquanto Montero observou  que a sociedade "deve buscar a vocação de um equilíbrio afirmativo e o compromisso de 600 milhões de falantes".

 

unnamed (5)

Após um breve recesso, interveio Santiago Kovacanff, poeta argentino, que refletiu sobre a situação da língua espanhola na atualidade: «O nosso tempo apela ao autor, que o solicita desde a sua mais íntima indigência, e o requer de tal modo porque, sabendo da necessidade de reconciliar-se consigo mesmo, sabe-se que o escritor, enquanto homem de fé, é um homem apaixonado". Seguido de Carme Riera, escritora espanhola que assegurou que as línguas "falam por nós". Para finalizar, dissertou o escritor peruano Mario Vargas Llosa, que afirmou durante a sua apresentação que «a língua espanhola trouxe-nos uma cultura contraditória, que discutisse, que fosse colocada à prova constantemente pelos factos históricos e uma cultura que capaz de criticar-se a ela própria».

unnamed (4)

A sessão inaugural do CILE 2019 terminou com uma emotiva homenagem a Víctor García de la Concha, um diretor honorário da RAE. A distinção foi recebida por Mario Vargas LLosa já que o académico não pode viajar por problemas de saúde.