Camões

Germano Almeida distinguido com Prémio Camões de 2018

OEI . 22/05/2018
Tamaño del texto + -

O júri escolheu o cabo-verdiano como vencedor da 30.ª edição do Prémio Camões, o mais importante da literatura em língua portuguesa e que pretende destacar um autor pelo conjunto da sua obra. O anúncio foi feito pelo ministro português da Cultura, Luís Filipe Castro Mendes.

Germano Almeida tem vasta obra publicada em Portugal, no Brasil, Itália, Alemanha Suécia, Dinamarca e Noruega, e é dos mais importantes autores de Cabo Verde.

É o segundo escritor cabo-verdiano a receber o Prémio Camões – em 2009, o galardão foi atribuído ao poeta Arménio Vieira.

Germano Almeida nasceu em 1945 na Ilha da Boavista. Vive atualmente no Mindelo. Assinou obras como A ilha fantásticaOs dois irmãos e O testamento do Sr. Napumoceno da Silva Araújo.  O Fiel Defunto é a sua obra mais recente.

Formado em Direito pela Universidade de Lisboa, o autor foi procurador da República de Cabo Verde. Enveredou pela literatura nos anos de 1980, quando ajudou a fundar a revista Ponto & Vírgula.

O Prémio Camões foi atribuído pela primeira vez em 1989, ao escritor português Miguel Torga e, na mais recente edição, em 2017, foi entregue ao poeta Manuel Alegre.

Já receberam este prémio: Miguel Torga, João Cabral de Mello Neto (Brasil), José Craveirinha (Moçambique), Vergílio Ferreira (Portugal), Rachel de Queiroz (Brasil), Jorge Amado (Brasil), José Saramago (Portugal), Eduardo Lourenço (Portugal), Pepetela (Angola), António Cândido (Brasil), Sophia de Mello Breyner (Portugal), Autran Dourado (Brasil), Eugénio de Andrade (Portugal), Maria Velho da Costa, (Portugal) Rubem Fonseca (Brasil), Agustina Bessa-Luís (Portugal), Lygia Fagundes Telles (Brasil), Luandino Vieira (Angola -- prémio recusado), António Lobo Antunes (Portugal), João Ubaldo Ribeiro (Brasil), Arménio Vieira (Cabo Verde), Ferreira Gullar (Brasil), Manuel António Pina (Portugal), Dalton Trevisan (Brasil), Mia Couto (Moçambique), Alberto Costa e Silva (Brasil), Hélia Correia (Portugal), Raduan Nassar (Brasil), Manuel Alegre (Portugal).

Ouça aqui a primeira reação de Germano Almeida depois de saber da atribuição do prémio: