sgoei

O Secretário-Geral da OEI comparece perante a Comissão de Assuntos Ibero-Americanos do Senado de Espanha

OEI - Educação . 28/02/2019
Tamaño del texto + -

Mariano Jabonero destacou esta manhã na Câmara Alta espanhola a importância estratégica da região ibero-americana. Conforme referiu, a região representa o principal espaço de desenvolvimento e de cooperação de Espanha, tendo em conta o seu grande valor estratégico, político, histórico, cultural e económico. «É hora de estabelecer um verdadeiro compromisso, sem demoras, através da organização de cooperação decana, sustentável, renovada nos seus objetivos e procedimentos e com a presença e atividade mais fortes na região», afirmou o Secretário-Geral da OEI.

Da mesma forma, Jabonero apresentou aos Senadores da Comissão de Assuntos ibero-americanos as linhas de ação estratégicas do organismo para os próximos dois anos. Perante a Comissão Ibero-Americana de Negócios Estrangeiros do Senado espanhol, apresentou o «Programa-Orçamento 2019-2020». Este plano de ação foi adotado por unanimidade pelas ministras e pelos ministros da Educação dos 23 membros do Conselho Diretivo celebrado em setembro na Guatemala.

O Secretário-Geral sublinhou que o novo plano de ação da organização, que entrou em vigor no início do ano, está adaptado ao novo contexto regional e conta com objetivos renovados e um maior potencial para responder às necessidades atuais e futuras da região. Entre as principais linhas de ação da OEI, Jabonero mencionou:

  • O alinhamento das Metas 2021 com a Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável.
  • A importância da educação na Primeira Infância como etapa decisiva para o futuro de todas as crianças.
  • O desenvolvimento das competências para o Século XXI, que são essenciais para a aprendizagem ao longo da vida e para a empregabilidade num futuro incerto.
  • A melhoria da governação para a educação através da promoção da participação, da inovação e da formação dos administradores e gestores. Para o efeito, a OEI já está a lançar uma Escola Ibero-Americana de Governação Educativa, uma Cátedra de Investigação sobre Economia e Educação e um Fórum Ibero-Americano de Educação e Sociedade.
  • O desenvolvimento do Programa Ibero-Americano de Formação em Democracia e Cidadania para os Direitos Humanos, que conta com programas sobre os direitos humanos e a democracia, uma cultura da legalidade e da boa governação, a educação para a igualdade e a diversidade e a formação em cidadania.
  • O lançamento do Programa Ibero-Americano para a Difusão da Língua Portuguesa (PIADLP), onde será desenvolvida uma rede de escolas bilingues em português e espanhol, entre outras ações.
  • A melhoria da compatibilidade dos sistemas universitários através do Programa de Ensino Superior, que se centra nas duplas-titulações, nos indicadores regionais e na mobilidade estudantil, a fim de criar conhecimentos e desenvolver a investigação.
  • O estabelecimento de indicadores regionais no domínio científico, o apoio às relações entre as universidades e as empresas e a promoção da difusão da cultura científica.
  • O desenvolvimento da Carta Cultural Ibero-Americana enquanto instrumento jurídico que promove a criação e a defesa dos direitos de propriedade intelectual e o aproveitamento do contributo da cultura para a economia e para o emprego, a chamada «economia laranja».

    Durante o seu discurso, Mariano Jabonero também quis recordar o senador recentemente falecido, Vicente Álvarez Areces, pelo seu trabalho, sensibilidade e vocação a favor da cooperação ibero-americana.