CPLP Revista

Revista da CPLP destaca a importância da cooperação entre os povos e da mobilidade

OEI - Cooperação . 19/07/2019
Tamaño del texto + -

A importância dos Mares, a aposta nas indústrias criativas, a mobilidade das pessoas e a cooperação intercultural. Estes são alguns dos temas em destaque no número três da revista CPLP, lançado na XXIV reunião ordinária do conselho de ministros da CPLP que decorreu na sexta-feira (19 de julho) na cidade do Mindelo, na ilha cabo-verdiana de São Vicente. A edição conta com um artigo de opinião da diretora da OEI Portugal sobre a importância da parceria entre as duas organizações.

Ana Paula Laborinho destaca o facto inédito de a Organização dos Estados Ibero-americanos para Educação, Ciência e Cultura (OEI) se tornar na primeira organização internacional a ser agraciada como a categoria de Observador Associado da Comunidade de Países de Língua Portuguesa (CPLP).  A diretora do escritório em Portugal sublinha que este «é um marco na relação entre os nossos dois espaços e constitui um compromisso para com uma parceria efetiva no âmbito da concertação político diplomática, nos diversos domínios de cooperação e na promoção e difusão da língua portuguesa». No artigo de opinião (página 55), Ana Paula Laborinho marca a importância das parcerias entre as duas organizações  como «a Conferência Internacional “Educação, Cidadania Mundo – Que Escola para que Sociedade”, realizada no passado mês de maio em Lisboa, numa parceria com o Governo português e o Conselho da Europa; também a Conferência sobre o Futuro do Trabalho (Lisboa, 24 de junho), no quadro do Centenário da OIT e na sequência da realização da Conferência de Ministros Responsáveis pela Juventude 2019 e Fórum da Juventude” Lisboa+21.»

Com os olhos postos no futuro, a diretora da OEI Portugal termina a crónica com o compromisso de que «os programas e projetos de cooperação conjunta nos campos da educação, da ciência, da cultura e do desenvolvimento social nos Estados Membros das nossas duas Comunidades serão um contributo sólido, inovador e inspirador no desígnio comum de um futuro sustentável».

A reunião ordinária dos chefes da diplomacia dos nove Estados-membros da Comunidade de Países de Língua Portuguesa (CPLP) teve como lema «A mobilidade como fator de coesão e construção de cidadania na CPLP». Cabo Verde, que assume atualmente a presidência rotativa da CPLP, apresentou um modelo de integração comunitária que prevê estadias até 30 dias no espaço da comunidade isentas de vistos e vistos de curta duração para profissionais, investigadores e docentes, além de autorizações de residência.

Fazem parte da CPLP: Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Guiné Equatorial, Portugal, Moçambique, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste.

A organização tem 19 Observadores Associados: Hungria, República Checa, Eslováquia, Uruguai, ilha Maurícia, Namíbia, Senegal, Turquia, Japão, Geórgia, Grão-Ducado de Luxemburgo, Principado de Andorra, Reino Unido da Grã-Bretanha e da Irlanda do Norte, República da Argentina, República da Sérvia, República do Chile, República Francesa, República Italiana, e Organização de Estados Ibero-Americanos para a Educação, a Ciência e a Cultura (OEI).