poesia

"Leitura em Movimento. Os textos circulam pela cidade" Contagiando o prazer de ler e ouvir poesia

OEI - Culture . 2019/04/24
Tamaño del texto + -

Uma boa forma de celebrar o Dia do Livro é parar para refletir sobre as diversas formas de executar políticas públicas relativas aos livros e à leitura. E, acima de tudo, pensar em como estas políticas públicas interpretam a leitura como um direito; como promovem a competitividade em matéria de leitura para o desenvolvimento integral das crianças e dos jovens, e como atingem os objetivos de equidade e igualdade de oportunidades.

Nesse âmbito, podemos definir uma boa prática como um conjunto coerente de ações bem-sucedidas num contexto específico e que é suscetível de ser replicado em setores semelhantes com os mesmos resultados.

Em geral, quando pensamos nas boas práticas e em como as políticas públicas estão a ser aplicadas, as primeiras ideias que nos surgem são espaços como as bibliotecas, as escolas, as universidades e outras instituições de educação formal.

No entanto, as políticas públicas como ações governamentais com objetivos de interesse público estão direcionadas e possuem como beneficiários a cidadania na sua totalidade. Ora, os espaços académicos estão longe de poder representar esta totalidade.

Por conseguinte, e sem prejuízo dos espaços formais, é necessário prosseguir ações e estratégias tão próximas quanto possível da sociedade e que sejam mais suscetíveis de circular e de avançar.

Uma forma de cumprir este propósito é através das campanhas de promoção da leitura nos espaços públicos. Estas não só fomentam a criação de hábitos de reflexão, análise e concentração, mas também permitem que todos os cidadãos tenham acesso à literatura e aos livros.

Maria Héguiz, narradora social, fala-nos da importância de partilhar o livro «na vivência da voz, como experiência transformadora capaz de humanizar para um mundo que inclua todos os cidadãos». Estes são os fatores que devem ser tidos em conta para uma política pública cultural que queira ter um impacto efetivo a nível social.

A título de exemplo, durante o VIII Congresso Internacional da Língua Espanhola (CILE), realizado na cidade de Córdova, Argentina, foi realizada a campanha «Leitura en Movimento. Os textos circulam pela cidade». Tendo em conta o que precede, o evento revelou que o cidadão valoriza as situações em que a poesia sai às ruas.

"Leitura em Movimento" baseou-se na leitura em voz alta e na entrega em mãos de poesia de autores ibero-americanos aos transeuntes e viajantes dos diversos percursos dos autocarros.

Outro componente da campanha foi a leitura digital. Por isso, os autocarros da cidade contaram com paineis com códigos QR de livros de bibliotecas virtuais para que os pasageiros pudessem aceder a diversos textos da Biblioteca Digital del Ministerio de Educación, Cultura, Ciencia y Tecnología de Argentina e da Biblioteca Virtual Miguel de Cervantes.

Os postais entregues contavam com um código QR para aceder à publicação que compila a totalidade dos poemas partilhados em formato de postais, distribuídos nos transportes públicos como parte das ações da campanha: Iberoamérica Lee – Poesía.

Os leitores voluntários que formaram parte da campanha, assistidos todos os dias por músicos com diversos instrumentos levaram a poesía a lugares de trânsito, de preocupação, de aborrecimento e conseguiram realizar um grande feito: que cidadãos e cidadãs, inclusive os mais vulneráveis e em situações de rua parassem para ouvir alguém a ler.

Como experiência enriquecedora que foi, o movimento das palavras não só se deu de voluntários a cidadãos, mas os primeiros também puderam comover-se e aproveitar os momentos em que os transeuntes decidiram espontaneamente que também queriam ler em voz alta, mostrando que a palavra, quando chega, é sempre bem recebida.

Mariano Jabonero, Secretário-Geral da OEI, apresenta a publicação "Iberoamérica Lee Poesía" dizendo: "Assim como Félix Pita Rodríguez, poeta cubano, consideramos que "A poesia é um silêncio que alguém com uma audição muito sensível escutou". Todos, após ler a sua representação escrita, temos a possibilidade de poder senti-la. Por isso convidamo-vos a aproveitar os sons e os silêncios que as grandes vozes da Ibero-América nos trouxeram e juntarem-se à promoção da leitura no Festival da Palavra da CILE2019".

Leitura em Movimento levou o valor das palavras partilhadas à vida cotidiana, às ruas da Cidade de Córdoba, contagiando o prazer de ler e ouvir poesia.

- Ignacio Hernaíz, com a colaboração de Andrea Talamoni e Virginia Desmoures.